domingo, 23 de novembro de 2014

Os bondes de Maceió Antigo

Conforme o pesquisador estadunidense Allen Morrison, Maceió foi à terceira cidade Brasileira a adquirir bondes a vapor, depois das cidades do Rio de Janeiro e Recife, a linha do bonde ia de Jaraguá a Bebedouro, com 10 km de comprimento abriu em 25 de março de 1868, O sistema foi instalado pela empresa nova-iorquina Thomsen & Com. em associação com o agente brasileiro do General Electric, Eduardo Guinle, usando equipamento da empresa Brill de Philadelphia: dez veículos-padrão, duas gôndolas motorizadas e um carro funeral em 1913, mais seis carros de passageiros em 1918.
Depois o sistema bondes foi adquirido em 1928 pelo empresário de cotonicultura Gustavo Paiva, em seguida a operação do sistema passou à empresa estadunidense Electric Bond & Share. Sua subsidiária Companhia Força e Luz Nordeste do Brasil operaram os bondes de Maceió por 25 anos, o sistema foi extinto em torno de 1956.
Observamos os relatos de como era o cotidiano dos bondes em Maceió através das crônicas de Floriano Ivo: (...) “Crônicas e Depoimentos”, descreve: “Veremos o bonde das doze com a estudantada do Lyceu, do São José e do Diocesano, turminhas de mancebos, geralmente no reboque, grupinhos de lindas mocinhas - hoje elegantes senhoras da sociedade – ali na frente, bancos uns virados para os outros, falando como periquitos irrequietos, mudando de lugar, levantando umas, sentando-se outras o tempo todo em cochichos e sorrisos, flertando mais do que a namorar”. Existiam também os bondes de segunda classe, com bancos laterais e espaço central, mais feios e no entanto mais engraçados, com suas lotações completas da criadagem, trapicheiros, estafetas da Western, raparigas da vida, vendedores ambulantes e suas mercadorias: pato, galinha, peru, peixe, embrulhos disformes com carne de porco, ganchos com toucinho pendurado, rolos de fumo ... E por isso: Lá vai a gaiola da CATU! Diziam.
Se compararmos hoje os meios de transporte de Maceió, notamos que alguns comportamentos ainda são comuns como Vendedores ambulantes e suas mercadorias e pessoas que transportam peixe, embrulhos que circulam  nos atuais ônibus, com sistemas de GPS, Câmeras , só um aspectos que não teve no passado os arrastões a assaltos, hoje  se transformando em cotidiano


Ponte do Fonseca 

Praça Visconde de Sinimbu,ficava a estação dos bondes(hoje espaço cultural da UFAL)



















André Cabral-História de Alagoas

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Arqueólogos acham prisão eclesiástica do século 17 em igreja de Penedo (AL)

Uma reforma para a instalação de banheiros e de um elevador na Igreja e Convento de Santa Maria dos Anjos, no centro histórico de Penedo (a 152 km de Maceió), em Alagoas, fez com que arqueólogos descobrissem no porão uma cela eclesiástica construída no século 17. O local, que antigamente era usados por frades para pagar castigos, foi transformado em depósito e até agora guardava alimentos.
Com a descoberta histórica, o projeto de reforma do convento franciscano, que prevê ainda a substituição de toda parte elétrica, restauração de altares e da nave principal e recuperação das pinturas internas e externas, deverá ser reformulado.Segundo a arqueóloga Danúbia Rodrigues, embaixo do piso atual foram encontrados instrumentos de porcelana, duas panelas de ferro, objetos de cozinha feitos em cerâmica e até restos de comida (mariscos e ostras), resquícios dos que ficaram encarcerados ali."Observando as características do cômodo, que estava sendo usado como depósito da cozinha, verificamos que era a prisão eclesiástica. Agora, o local está fechado e deverá passar por uma adequação para ser aberto para visitação. A nossa indicação é que seja colocado um piso de acrílico para os visitantes verem os achados no piso", disse Rodrigues.Documentos históricos do convento relatam que o local era usado pelos frades por vontade própria ou por punição a infrações cometidas. Jogar cartas no interior do convento era passível de punição no cárcere, por exemplo. Segunda a arqueóloga, os documentos dizem que o convento começou a ser construído no século 17 e, mesmo que tenha demorado um pouco para ficar pronto, é possível dizer que o material encontrado é deste período, quando as celas eram usadas, de acordo com os registros. "Todo material está passando por estudos para ser datado", explicou.
Outros achados
As dependências do convento franciscano também contêm outros materiais arqueológicos do final do século 16 e do início do século 17. As escavações em busca de um cemitério próximo à cela eclesiástica revelaram um muro que deve remeter aos anos de 1500 e 1600, época do período colonial "São vários blocos que formam um muro e nos dão a entender que ali existiram construções antes do prédio do convento ser erguido e também antes da chegada dos franciscanos a Penedo", afirma a arqueóloga. Na área aterrada foram encontrados também frascos de remédios e de tintas, cerâmicas, louças e até cachimbos, que deveriam pertencer aos holandeses.Os arqueólogos também identificaram um sistema de saneamento construído no século 17 nas paredes da prisão eclesiástica, com um sistema de captação e armazenamento de água da chuva.Todos os achados são estudados pelo Nepa (Núcleo de Ensino e Pesquisa Arqueológica) da Ufal (Universidade Federal de Alagoas). Os trabalhos devem ser concluídos em dezembro.
Cidade histórica
As construções históricas de Penedo guardam segredos de séculos, e a cada escavação novas descobertas arqueológicas são feitas. Para não danificá-las, toda reforma em imóveis do centro histórico é monitorada por especialistas. "Penedo abriga o maior centro histórico de Alagoas e qualquer intervenção deve ser feita com acompanhamento de arqueólogos para analisar se existem materiais arqueológicos ou não no lugar da obra. Caso seja encontrado algum material, por se tratar de um município tombado, a obra é paralisada", conta Rodrigues.Penedo foi tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 1986. A cidade possui o centro histórico com conjunto de edificações de igrejas, conventos e outros imóveis que mantém as características originais do período colonial. Penedo foi o primeiro povoado de Alagoas, iniciado no século 16, e fica localizado às margens do rio São Francisco, na divisa de Alagoas e Sergipe



Aliny Gama
 Do UOL, em Maceió