Postagens

Mostrando postagens de 2015

A bandeira de Maceió e o brasão de armas

Imagem
Criado por Théo Brandão em 1957 A bandeira de Maceió e o brasão de armas, Dividida e m três faixas horizontais de igual largura na seguinte sequência, a partir de cima: verde, branco e azul. A faixa branca busca representar a restinga característica da orla de Maceió, com suas areias brancas. A divisa ondulada na cor vermelha, simbolizando o Riacho Salgadinho, que corta grande parte da cidade, que possui um aspecto barrento resultante do transporte de aluviões de suas margens. As faixas nas cores verde e azul aludem ao Oceano Atlântico e à Lagoa Mundaú, respectivamente. No centro há um disco branco contendo o brasão de armas do município,  português terciado em faixa, de sinopla, argente e blau. No 1º e no 3º uma jangada de argente e no 2º uma faixa ondulada de goles. Sobre ele, coroa mural de cinco torres visíveis (sendo oito no total) de ouro, indicando capital de estado. No topo da torre central, um pequeno escudete de argente carregado de um barrete frígio de goles. Como suporte…

A Genesis de Maceió

Imagem
A opinião defendida pelos historiadores Alagoanos, que Maceió se originou de um engenho de Açúcar, de acordo com o professor Theodyr Agusto de Barros  “Apoiavam-se na tradição oral” por não possuir documentos que comprovem essa tese., mais existe, contudo um documento histórico, (escritura), na qual Gabriel Soares  da vila de Santa Maria Madalena, representado seu Pai Diogo Soares da Cunha, doar  um lote de terra a Manoel Antônio Duro, segundo Craveiro Costa, esse documento faz  referencia  uma casa de telha , existente na época na enseada da Pajuçara .“As terras tinha uma extensão na ocasião  de oitocentas braças ia da costa até encontrar o rio Mundaú”; 1708, segundo Craveiro Costa as terras  passaram para o capitão Apolinário  Fernandes   Padilha  Para Manoel Antônio Duro dono do engenho  Maçaió

O engenho e o Porto
De fato em torno do engenho foi se formando um povoado depois vila e se configurando a cidade  de Maceió, conforme  os relatos o engenho que deu origem a cidade de Maceió …

Depoimento de José Antônio em 31 de março de 2014 no Auditório da Ufal

Imagem

História do Petróleo em Alagoas , (parte I)

Imagem
A história do petróleo da Alagoas das primeiras perfurações que datam de 1920 e 1927, realizados em Garça Torta e Riacho Doce, na qual tinha vestígios de petróleo na profundidade   de 79 á 309 metros, o serviço  de produção mineral também perfurou em Ponta verde próximo onde ficava o extinto Gogo da Ema; segundo Lidonor Mota “as atividades de exploração  do conselho Nacional do petróleo , em Alagoas  tiveram início 1939, realizada pela United Geophysical Company S.A, entre Maio e novembro  realizaram a demarcação no Bairro de Bebedouro onde foram perfurados 4 poços secos”
Na segunda vez  entre 1949 e 1950 foi descoberto as áreas sedimentar  da interesse de petróleo  as áreas entre  do tabuleiro dos Martins,  Rio São Francisco, Maceió , Satuba e Fernão Velho e ponta Verde, realizada peal mesma United Geophysical  Company S.A 

O primeiro poço aberto em  Alagoas foi na praia de ponta verde, um reservatório de Gás e petróleo ; conforme Lidonor Mota “ As perfurações seguinte tivessem sido…

Além de um prédio: o símbolo da memória cultural de Alagoas

Imagem
A memória alagoana prestes a ser jogada no lixo. De repente, um estalo e tudo desmoronam deixando para trás uma história de dignidade, formação, conhecimento,  cultura. Infelizmente é assim que as coisas acontecem neste Estado, onde a memória e o patrimônio histórico são jogadas cotidianamente na lata do lixo. Aqui se fala das atitudes governamentais em relação ao prédio da Secretaria Estadual de Educação. Trata-se a estrutura física maltratada pelo descaso e pela omissão como se fosse apenas um bem material que pode ruir, como qualquer outro, para dar lugar a quem sabe mais camelódromo na cidade de Maceió. A verdade é que o prédio da Educação é muito mais do que pensam os gestores apressados em derrubar o resto, uma vez que já começaram pelo muro. A estrutura ali existente simboliza a própria educação. Enterrar a história tem sidouma praxe de governos. Lá funcionou o antigo Liceu Alagoano. Por lá passaram várias gerações que hoje representam a inteligência desta terra. Depois do Lic…

De gabinete a Biblioteca pública

Imagem
A chegada da Família Real ao Brasil, em 1808, trouxe consigo não apenas os membros da corte portuguesa, mas também uma série de costumes e preceitos cultuados na Europa. Um deles foi a expansão dos gabinetes de leitura, que, de ambientes restritivos a determinadas famílias, tornam-se espaços públicos de socialização e leitura. Assim começa a história da Biblioteca Pública Estadual.

O primeiro gabinete do tipo em Alagoas foi instalado em 1856, por José Correia da Silva Titara, graças à doação de livros feita por Melo Moraes, então diretor da Instrução Pública. E ele ficaria assim por quase dez anos, segundo a professora Maria de Lourdes Lima, docente do curso de Biblioteconomia e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal (Ufal).

“Na década seguinte, o deputado provincial Thomaz Espíndola encaminha à Assembleia Legislativa um projeto de criação da Biblioteca Pública, em maio de 1865”, diz ela. “Só em 1867, o acervo do gabinete de leitura, com mais de três mil vol…

ALAGOAS NOSSA TERRA - DVD2 - FOLGUEDOS, ARQUITETURA, GASTRONOMIA E ARTES...

Imagem

ALAGOAS NOSSA TERRA - DVD1 - HISTÓRIA

Imagem

Arqueólogos realizam visita técnica a forte holandês descoberto em Porto Calvo

Imagem
O superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Alagoas, arquiteto Mário Aloísio, anunciou, neste sábado (28), a construção de um parque histórico e de um museu arqueológico no Reduto Ilha do Guedes, em Porto Calvo. O primeiro passa para o projeto é restaurar o fortim de terra identificado pela pesquisa arqueológica sobre a movimentação e ocupação holandesa / ibérica do rio Manguaba no século XVII, entre os municípios de Porto Calvo e Porto de Pedras, na região Norte do Estado. Pela manhã, o superintendente do Iphan e arqueólogos que realizaram a pesquisa fizeram uma visita técnica à área onde foi identificado o fortim, uma construção holandesa de 1640. O Reduto Ilha do Guedes é a única estrutura fortificada preservada, morfologicamente, no Estado de Alagoas, conforme o estudo. Os fortes e redutos construídos em terra foram comuns ao longo dos séculos iniciais da colonização. Mas, praticamente desapareceram ao longo do tempo. “Há poucos fortes d…

A Revolução Pernambucana de 1817

Imagem
Indomável Pernambuco: Em meados de 1817, Pernambuco hasteou sua nova bandeira declarando independência da coroa portuguesa. Instaurou-se um governo republicano com nova constituição, baniram-se os impostos e concedidas foram às liberdades de imprensa e religiosa. Dom João VI, enfurecido, despachou exército e marinha que acabaram por sufocar a revolução que havia se alastrado por todo o Nordeste. Todavia, os 75 dias de liberdade e igualdade perpetuaram profundas marcas no espírito do povo pernambucano.

Bandeira da Revolução Pernambucana de 1817, cujas estrelas representam Pernambuco, Paraíba e Ceará. Criada pelo Padre João Ribeiro de Melo Montenegro, ela acabou por inspirar a atual bandeira do estado pernambucano que é basicamente a mesma. Bandeira da Revolução Pernambucana de 1817, cujas estrelas representam Pernambuco, Paraíba e Ceará. Criada pelo Padre João Ribeiro de Melo Montenegro, ela acabou por inspirar a atual bandeira do estado pernambucano que é basicamente a mesma.
No iníci…

Bandeira de Alagoas

Imagem
A bandeira de Alagoas foi criada por meio da Lei Estadual nº 2.628, de 23 de setembro de 1963. O brasão simboliza as primeiras cidades alagoanas, Porto Calvo e Penedo, bem como suas riquezas agrícolas: a cana-de-açúcar e o algodão. As cores das faixas (vermelho, branco e azul), escolhidas por estarem presentes no brasão estadual, remetem à tricolor, simbolizando os ideais da Revolução Francesa: liberdade, igualdade e fraternidade. Os escudos representativos das três vilas formadoras do Estado, as vilas de Alagoas (atual Marechal Deodoro), Porto Calvo Penedo, possuem também uma significação histórica e ao mesmo tempo geográfica e cultural. Os três peixes tainhas postas em pala, isto é, uma por sobre a outra, representam as três principais e maiores lagoas da então povoação: a Lagoa Mundaú ou do Norte, a Lagoa Manguaba ou do Sul e a Lagoa de Jequiá, que fica isolada mais ao sul do estado próxima ao município de Barra de São Miguel. Representam igualmente uma das maiores riquezas da reg…

O Homem, O Rio e o Penedo - Festa do Glorioso Bom Jesus dos Navegantes (...

Imagem